Vídeo Registro do Encontro FQRS – Quilombo Fidelix

Encontro Quilombola e Indígena. Ação da Frente Quilombola RS no Quilombo Fidelix. Ação que integra as estratégias de articulação e mobilização das populações negra e indígena no estado do Rio Grande do Sul. Visa criar uma unidade política e inclusiva das questões racial e de classe como forma de combate às injustiças socias cometidas pelo estado brasileiro.

Captação e edição – Gabriel Muniz / Cineclube Bamako.

Cineclube Bamako realiza sessão em parceria com o FICINE

Saudações!

O Cineclube Bamako realiza sessão em parceria com o FICINE (Forum Itinerante de Cinema Negro), com a presença de Janaina Oliveira no Centro de Cultura Luiz Freire, dia 16/06 às 19h30.

Nossa convidada propôs o filme Mossane, realizado em 1996 por Safi Faye. Faye foi a primeira realizadora negra africana que, em 1972 realizou seu primeiro filme e deu o pontapé inicial para um olhar negro no feminino em África.

Ficha Técnica:
• Direção: Safi Faye
• Roteiro: Safi Faye
• Gênero: Drama
• Origem: Alemanha / Senegal
• Duração: 105 minutosSINOPSE:Mossane, ao nascer foi prometida a Diogoye, um homem bem mais velho e rico. Diogoye cumpriu rigorosamente todas as exigências, quanto ao dote e agrados aos pais de Mossane. Mas a jovem, que se tornou a moça mais linda da aldeia, fazendo com que até os gênios protetores se apaixonassem por ela, tem outros planos quanto ao seu destino.

 

_____

Inicio da sessão 19:30
Centro de Cultura Luiz Freire
Rua 27 de Janeiro, nº 181, Carmo, Olinda-PE

Mais informações:

cineclubebamako.wordpress.com
cineclubebamako@gmail.com
facebook.com/cineclubebamako
+55 81 98585-8118

Cineclube Bamako inicia Temporada 2017 em Recife-PE

Saudações Cineclubistas!

O Cineclube Bamako comemora seus 5 anos com uma nova temporada. Embora estejamos lançando uma programação em uma cidade nova – Porto Alegre-RS, retomamos a temporada em nossa cidade natal – Recife – , e com parceiros novos: Desta vez quem nos recebe para as sessões mensais é o Espaço Preto no Branco.

Nossa sessão de abertura – Sessão Atlântico Negro – será no dia 10/05, às 20h. Neste dia, traremos uma sessão organizada em parceria com o Cineclube Atlântico Negro (RJ), que exibirá suas produções, além da presença de seu fundador e realizador dos curta-metragens, Clementino Junior, para um instigante debate sobre a experiência cineclubista no Rio de Janeiro. Teremos 4 filmes em curta-metragem: 3 documentários (Jurema, Feli(Z)cidade e Anamnese) e a ficção Tião.

Em 2017 o Bamako procura ampliar o alcance de suas ações com projetos que irão dialogar com cineclubes e organizações de outros estados, como RJ e RS, porém mantendo as atividades e representação em PE. Gratidão ao Espaço Preto no Branco e aos demais parceiros que temos encontrado aqui em PE e aos parceiros do RJ e RS, tão importantes na construção destes 5 anos e nas próximas realizações

É um novo salto, o levante de um novo vôo, rumo a novas articulações, vivências, diálogos e experiências políticas e audiovisuais nesse Brasilzão! Nos acompanhem pelo e-mail e em nossas redes sociais:

Email: cineclubebamako@gmail.com / Facebook: @cineclubebamako / Instagram: @cineclubebamako

 

Informações da sessão

JUREMA – Clementino Junior / Cineclube Atlântico Negro (Doc, 16′, 2014).

Sinopse: Registro Íntimo do Ritual da Jurema, como é feito na Umbanda da Irmandade Cercado de Boiadeiro em Sepetiba, Rio de Janeiro, sob o comando da Iyalorixá e atriz Chica Xavier.

FELI(Z)CIDADE – Clementino Junior / Cineclube Atlântico Negro (Doc 10′, 2015).

Sinopse: A felicidade na perspectiva de 9 moradores e trabalhadores no Complexo da Maré durante o processo de Ocupação do Exército e a troca para a polícia.

ANAMNESE – Clementino Junior / Cineclube Atlântico Negro (Doc, 14′, 2016).

Sinopse: Universitários de medicina falam de todos os obstáculos para ingressar, permanecer e concluir os estudos… sendo pretos.

TIÃO – Clementino Junior / Cineclube Atlântico Negro (Fic, 14′, 2016).

Sinopse: São Sebastião retorna ao Rio de Janeiro por um dia para reviver sua saga.

_________

ONDE? Espaço  Preto no Branco – Rua Vigário Tenório, 199, Bairro do Recife – PE

QUANDO? 10/05, 20h

QUANTO? Entrada Gratuita

CONTATO? Email – cineclubebamako@gmail.com / Fone: +55 81 98717-1170 / 81 99941-3627

Cineclube Bamako inicia Temporada 2017 em Porto Alegre-RS

Saudações Cineclubistas!

O Cineclube Bamako comemora seus 5 anos com uma nova temporada. Cidade nova, parceiros novos: Desta vez quem nos recebe para as sessões mensais é o Ponto de Cultura Espaço Escola Áfricanamente.

Nossa sessão de abertura – Sessão Porongos – será no dia 24/05, às 19h30. Neste dia – véspera do dia da África, traremos uma sessão cujo tema será o massacre de Porongos, triste capítulo da história do Rio Grande do Sul, quando os combatentes negros da Revolução Farroupilha foram traídos pelas forças do Duque de Caixias (ele mesmo!), desarmados e brutalmente assassinados.

Teremos 2 produções em curta-metragem que retratam este episódio: Manifesto Porongos, documentário/videoclipe produzido por Thiago Köche e pelo grupo de rap Rafuagi; e Fábula de Porongos, ficção realizada por Manuela Furtado e pela produtora Praça Filmes. Após a exibição teremos debates com realizadorxs.

Em 2017 o Bamako procura ampliar o alcance de suas ações com projetos que irão dialogar com cineclubes e organizações de outros estados, como RJ e RS, porém mantendo as atividades e representação em PE. Gratidão ao Áfricanamente e aos demais parceiros que temos encontrado aqui no RS e aos parceiros de PE, tão importantes na construção destes 5 anos

É um novo salto, o levante de um novo vôo, rumo a novas articulações, vivências, diálogos e experiências políticas e audiovisuais nesse Brasilzão! Nos acompanhem pelo e-mail e em nossas redes sociais:

Email: cineclubebamako@gmail.com / Facebook: @cineclubebamako / Instagram: @cineclubebamako

Informações da sessão

MANIFESTO PORONGOS – Thiago Köche / Rafuagi (Doc/Clipe, 16′, 2016).

Sinopse: O trabalho trata do vergonhoso massacre de Porongos durante a Revolução Farroupilha, quando negros escravizados que lutavam ao lado dos farroupilhas com a promessa de liberdade foram emboscados e chacinados, através de ordens diretas de Duque de Caxias e David Canabarro. Na música, utilizando versos do poeta negro Oliveira Silveira (em memória), a letra do Hino do Rio Grande do Sul é alterada: o trecho “povo que não tem virtude acaba por ser escravo” dá lugar a “povo que não tem virtude acaba por escravizar”.

FÁBULA DE PORONGOS – Manuela Furtado / Praça Filmes (Fic, 23′, 2016).

Sinopse: Uma história de resgate da cultura negra gaúcha e dos Mestres Griôs. Educativo, o curta-metragem trata da realidade de famílias negras na periferia das grandes cidades em paralelo a fatos históricos. Vô Guinga (Sirmar Antunes) é um militar aposentado que recebeu uma oferta de compra para sua loja de animais, localizada em uma área na periferia de Porto Alegre, onde será erguido um centro comercial. Enquanto narra histórias da saga Farroupilha para a neta Clara (Beatriz Lima), vêm à tona dilemas humanos como relações familiares e a liberdade de escolha, sempre sob o  manto da história dos Lanceiros Negros e a controversa história do Cerro de Porongos.

_________

IMPORTANTE:

O Cineclube Bamako é uma ação totalmente independente. Envolve custos, para divulgação, transporte, comunicação e alimentação da equipe; energia, organização e manutenção da estrutura e equipamentos do Áfricanamente. Convidamos o público a colaborar com nossas ações contribuindo com uma quantia a partir de R$ 10, para que  o projeto siga em frente. Seremos gratos, pois nossos esforços são para o público, para o bem coletivo! Curta, compartilhe, colabore, contribua, fortaleça!

_________

ONDE? Ponto de Cultura Espaço Escola Áfricanamente – Avenida Cristóvão Colombo, 761, Porto Alegre – RS

QUANDO? 24/05, 19h30

QUANTO? Contribuição espontânea, a partir de R$ 10

CONTATO? Email – cineclubebamako@gmail.com / Fone: +55 51 99202-9983 / 51 99630-2807

Sessão Especial + debate do curta Foice à Face

FEPEC

modelovisual fepec foice a face

Saudações Cineclubistas!

A FEPEC e o Centro de Cultura Luiz Freire em parceria com a Encouraçado Filmes e o Cineclube Bamako realizam nesta quinta feira (03/03) uma sessão especial com a exibição do documentário Foice à Face, da produtora Encouraçado Filmes.

O evento acontecerá às 15h no CCLF e contará com a presença dos produtores em um debate sobre a representatividade dxs negrxs nas artes. Entrada gratuita, esperamos vocês lá. Confira o release:

CRISE DA REPRESENTAÇÃO VS REPRESENTATIVIDADE NAS ARTES
Foice a Face
Está lembrado que em maio de 2015 uma peça teatral paulista foi acusada de
racismo por usar Blackface em sua montagem?
São Paulo, 12.05.2015. Itaú CulturalSP
sedia um dos mais importantes debates da
atualidade sobre representação racial na arte e sociedade. Nesse dia, foi deflagrada
a crise na representação da pessoa negra, evocada por um peça teatral paulista
acusada de racista pela comunidade negra ao fazer uso do…

Ver o post original 501 mais palavras

I Mostra Abolicine retoma parceria Cineclube Bamako e Museu da Abolição

abolicine

Salve, salve!

Neste mês de novembro o Cineclube Bamako retoma a parceria com o Museu da Abolição (onde fizemos a primeira temporada, junto à Aliança Francesa) para a realização da I Mostra Abolicine. O evento acontece de 25 a 27/11 a partir das 14h no museu e contará com exibições de filmes de realizadores pernambucanos e nacionais seguidas de debates mediados por várias vozes que tratarão das relações políticas, artísticas, sociais, culturais, religiosas e claro, cinematográficas. Tudo isso para refletir, praticar, questionar e celebrar este mês tão importante para a negritude brasileira.

Contamos com a sua presença, apreciem as produções, participem do debate, o momento é para integrar. O Museu da Abolição fica na Rua Benfica, 1150, Madalena Recife. Informações: 55 (81) 3228-3248 / mab@museus.gov.br

Acompanhem a programação logo abaixo. Axé!!!

abolicine progr

Nota de pesar

mahomed_bamba

Na madrugada de ontem (16/11) aos 48 anos fez sua passagem o professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Mahomed Bamba, vítima de infecção generalizada. Ele havia passado por um procedimento cirúrgico por conta de um tumor no fígado.

Natural de Costa do Marfim, Bamba integrava o corpo de professores da referida instituição desde 2009, onde atuava na área de Cinema e Audiovisual, além de ser professor e pesquisador do Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Em sua carreira acadêmica, Bamba realizou e participou de diversas publicações sobre cinemas africanos, sendo uma destacada voz sobre estas cinematografias no Brasil.

Para os estudos das cinematografias africanas no Brasil, para nós do movimento cineclubista, e em especial para o Cineclube Bamako, este ocorrido representa uma enorme perda. Os estudos do professor Mahomed Bamba foram grandes referências para a idealização e a realização do Bamako.  As reflexões propostas em diversos campos, das narrativas às questões econômicas, bem como aquelas que tratavam da diáspora, do pensamento e das construções políticas das cinematografias de África foram de essencial importância para o nosso viés político e para as escolhas artísticas/temáticas das nossas sessões.

Lamentamos bastante esta ausência, e esperamos que seus estudos continuem inspirando novas iniciativas, tanto no campo acadêmico, quanto no campo da produção e difusão do audiovisual de países africanos e de sua diáspora, assim como os estudos e realizações de negras e de negros em nosso país.

Axé!

 

Equipe Cineclube Bamako.