Documentário Pedra da Memória em exibição no Cineclube Bamako dia 20/10!

Nossa sessão do mês de outubro trará 0 filme Pedra da Memória, de Renata Amaral. Será na próxima sexta, dia 20/10 às 19h30 no Centro Luiz Freire. Como facilitador do debate teremos a presença de Thulio Xambá, integrante do grupo Bongar!

Confira a Sinopse:

Pedra da Memória é um documentário musical que propõe uma investigação estética entre os gêneros tradicionais dos dois países (Brasil e Benin, na África Ocidental), revelando seus vínculos e particularidades, em uma aproximação poética conduzida pela memória do babalorixá Euclides Talabyan e os desenhos de Carybé.

 

 

Anúncios

Cineclube Bamako exibe filme senegalês Touki Bouki na MO.M.O

Na próxima sexta-feira – dia 29/09 – no Beco do Bajado (entre a Rua do Amparo e a Ladeira da Misericórdia – Centro Histórico de Olinda) em parceria com a 1° MO.M.O – MOstra de Moda de Olinda exibiremos A Viagem da Hiena (Touki Bouki), filme senegalês de 1973 irigido por Djibril Diop Mambéty. A mediação do debate será feita pela antopóloga e articuladora social do Coletivo Filhas do Vento Juliana Cintia
19h

Sessão aberta e gratuita, se puder traga seu banquinho, ou canga para se acomodar melhor… As sessões contam também com apoio do CCJ – Recife e do Cineclube Fazendo Milagres. Também teremos uma feira de arte, chegue junto, o evento começa às 19h.

Confira a SINOPSE:

A Viagem Da Hiena / Touki Bouki (Dir: Djibril Diop Mambéty, Drama/Road Movie, Senegal, 1973)

Este primeiro filme do aclamado diretor senegalês Djibril Diop Mambety é considerado um dos melhores filmes africanos, com certeza um dos mais experimentais. Concebido ccom exatidão e magistralmente realizado, o filme narra as cômicas desaventuras história de Mory, um vaqueiro que monta uma motocicleta com um crânio bovino. e Anta, uma estudante universitária. Alienados e descontentes com o Senegal e a África, decidem ir para Paris, buscando para tanto, arrumar dinheiro-fácil através de diferentes formas.

Vídeo Registro da Feira Ecológica de Mostardas-RS

Saudações Cineclubistas!

No Rio Grande do Sul, enquanto as sessões deram uma pausa por questões de estrutura, continuamos na luta acompanhando, participando e dando suporte audiovisual às lutas de parceiros como a Frente Quilombola RS e os quilombos urbanos e rurais.

Nossa contribuição tem sido na comunicação e produção audiovisual das atividades dos companheiros de luta, intensificando a atuação cineclubista enquanto militância audiovisual.

Estamos conhecendo e fortalecendo as lutas dos povos afrodescendentes do estado e pensando propostas de produção audiovisual e artística – como força política – a serem desenvolvidos futuramente.

Este vídeo registro da Feira Ecológica de Mostardas é uma forma de, a partir da linguagem audiovisual, dar visibilidade às batalhas, dificuldades e vitórias dos quilombos dos Teixeira, dos Cascas e do Beco dos Colodianos, bem como de suas expressões culturais, organizações políticas, produção agrícola e outras formas de subsistência na relação com a terra.

É um pequeno relato sobre a inauguração da Feira, que acontece todos os sábados, das 07h às 13h, na frente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Mostardas. A Feira é organizada pela COOPTRAM – Cooperativa dos Povos Tradicionais de Mostardas.

Vamos continuar na luta política e cultural pelos nossos, seja em Pernambuco ou no Rio Grande do Sul, seja no campo ou na cidade. Axé!!!

Cineclube Bamako exibirá clássico dos Cinemas Africanos no CCLF!

Neste mês de Setembro teremos duas exibições em Olinda/PE, uma no nosso parceiro habitual, o CCLF, outra junto ao evento MOMO – Mostra de Moda de Olinda. Confira informações sobre a primeira sessão, em breve faremos uma postagem sobre a segunda:

Nesta sexta-feira (22) vai rolar o Cineclube Bamako de setembro no Centro de Cultura Luiz Freire! A sessão exibirá o longa metragem do cineastra senegalês Ousmane Sembene “A Negra de …” (La noire de …), de 1966. O debate vai ter mediação do professor, antropólogo e membro do Coletivo Afronte, Gilson Baepard Rodrigues Jr. Chega cedo porque também vai ter feirinha de arte a partir das 19h!

O filme conta a história de uma jovem senegalesa que vai trabalhar na França com o casal de franceses que a empregava em Dakar. Inicialmente animada com a perspectiva de conhecer a França, ela logo se vê desiludida, notando diferenças no tratamento que os patrões lhe dão. O filme trata de modo único os efeitos do colonialismo, do racismo e dos conflitos trazidos pelas identidades pós-coloniais na África e na Europa. Baseado em um caso real.

O Cineclube Bamako acontece em todas as terceiras sextas do mês, no Centro De Cultura Luiz Freire.

 

Apoio: CCJ Recife / Fazendo Milagres Cineclube

 

Lançamento Flores de Baobá | Cabelaço PE

O Flores de Baobá é uma coletânea de Lambe-lambes para acontecer pelas cidades, especialmente Recife e Olinda, cidades-sede do coletivo Cabelaço-PE. É projeto parido em nome do 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. No Brasil, Dia da Mulher Negra. Data que é comemorada desde o ano de 1992 e que vem começar a ganhar força em nossas agendas locais só recentemente – “ninguém nos disse que seria fácil” nos disse Audre Lorde. Considerando que até mesmo muitas mulheres negras não tem ciência deste dia, enunciaremos por aí esta força por meio dessas imagens. Que ficaram lindas e enchem as madrecitas acá de inspiração e orgulho. A árvore Baobá representa nossa ancestralidade replantada e renascida pela travessia do Atlântico, as Flores são o nosso germinar ancestral, com força, forma e luz.

Imprimimos artesanalmente lambes com imagens de mulheres negras que admiramos. Elas nos representam porque aparecem em nossa caminhada como elos fortalecedores de nossas vidas. São 12 imagens, cada qual contendo uma força e descanso femininos através de fotos ilustradas aonde posam: Inaldete Pinheiro, Vera Baroni, Denise Botelho, Adriana Luz do Nascimento, Maria José dos Santos, Victoria Santa Cruz, Maria Clara de Sena, Luiza Cavalcante, Agatha Vitória, Nzinga Cavalcante, Graça Elenice Braga, Perlla Rannielly, Beth de Oxum. São elas: Yalorixás, Professoras, Agricultoras, Mestras de Capoeira, Fotógrafas, Enfermeiras, Yabassés, Advogadas, Poetas, Pesquisadoras, Atrizes, Escritoras, Militantes, Intelectuais.

A intenção do lançamento é jogada para o mês de agosto, que a concilia com o mês da Visibilidade Lésbica. Mês caro a nós, visto que nosso coletivo assume as experiências das mulheres negras lésbicas como ponto nevrálgico para toda e qualquer transformação que possa vir a ocorrer na melhora e alcance de nossos direitos, sejam eles na garantia de nosso ir e vir livremente, seja como assegurar condições dignas para nossas vidas e nossa saúde mental, física e afetiva.

Para acontecer, o projeto recebeu o financimaneto do SOS Corpo – Instituto Feminista e apoio do Centro de Cultura Luiz Freire.

Issé aonde? Vai ter o que lá?

Onde: Centro de Cultura Luiz Freire
Quando: Sábado 26.agosto.2017
Horário: 19:30h às 21h.

A celebração contará com sessão especial do Cineclube Bamako e Fazendo Milagres Cineclube, rodando o filme K-bela, da cineasta carioca Yasmin Tainá, contamos com o apoio também do Cine Milagres e FEPEC
para essa sessão realização.
Seguiremos para uma troca de ideias com as homenagedas que puderem comparecer e desgutaremos uma comidinha feita pela nossa querida Neidinha Amora. Contaremos também com feira de produtos artesanais.
O auditório e as comidas contam com a presença de 50 pessoas, então chega na hora!

Asè a todes!

Chamada 25 de Julho – Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha

Pela luta diária de todas as mulheres negras! 💪🏾✊🏾

Vídeo realizado pela Frente Quilombola RS, com apoio do Cineclube Bamako na finalização.

Vídeo Registro do Encontro FQRS – Quilombo Fidelix

Encontro Quilombola e Indígena. Ação da Frente Quilombola RS no Quilombo Fidelix. Ação que integra as estratégias de articulação e mobilização das populações negra e indígena no estado do Rio Grande do Sul. Visa criar uma unidade política e inclusiva das questões racial e de classe como forma de combate às injustiças socias cometidas pelo estado brasileiro.

Captação e edição – Gabriel Muniz / Cineclube Bamako.