Sessão de Abertura 2014 Cineclube Bamako homenageia Carolina de Jesus

panfletos-01

O Cineclube Bamako dá início à sua terceira temporada em 2014. Este é o ano do centenário da poetisa Carolina de Jesus, negra, mulher, de origem pobre. Uma homenagem mais do que justa para começarmos este nosso novo momento, quando trazemos como foco das ações cineclubistas o olhar sobre a mulher negra.

Mulheres, mães, militantes, artistas, guerreiras. Na véspera do dia da mulher negra, latino-americana e caribenha trazemos também a exibição do filme 25 de Julho, que trata das várias experiências de vida de mulheres que estão na luta pelos seus direitos.

Após os filmes, reforçaremos a ligação com a poesia com um sarau, onde traremos como tema a mulher negra, seguida da discotecagem da DJ Preta One, com o melhor da música negra.

É isso aí, todos estão convidados a presenciar este momento de celebração do talento, da luta, da coragem e da resistência de Carolina e de várias outras guerreiras negras do dia a dia.

A entrada é franca e a classificação é livre. Junte-se a nós, o Cineclube Bamako é resistência negra popular!

 

Confira as sinopses dos filmes abaixo:

Carolina de Jesus – Vida e Obra Literária (Reportagem: Vera Morgado, Documentário, 2 min,  Ano: 2012) 

Documentário sobre a escritora Carolina de Jesus, exibido pela TV Câmara em comemoração ao dia da Consciência Negra, festejado no Brasil a 20 de novembro.

 

Carolina (Direção: Jeferson De, Documentário, 14 min,  Ano: 2003) 

O curta Carolina traz Zezé Mota no papel de Carolina de Jesus, mulher negra e ex-favelada, que denunciou a fome, o preconceito e a miséria em seu diário, mais tarde publicado com grande sucesso editorial.

 

25 de Julho – Feminismo Negro Contado em Primeira Pessoa (Direção: Avelino Regicida, Documentário, 63 min, Ano: 2013)

O filme surge por conta da curiosa situação de existir uma data tão significativa para as mulheres, em nosso contexto político social, o 25 de julho e mesmo assim o dia 8 de março ainda é mais reconhecido e comemorado por nossas guerreiras terceiro-mundistas. Assim o documentarista Avelino Regicida, junto com a Do Morro Produções lança em 2013 a proposta de desenvolver um documentário/pesquisa que trate sobre a data e diversas questões que a cercam.

 

 

O QUÊ? Sessão de Abertura 2014 do Cineclube Bamako – Homenagem a Carolina de Jesus

QUANDO? 24 de Julho, às 19h

ONDE? Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia Recife – Rua do Bom Jesus, 147, Bairro do Recife, Recife-PE.

Bamako realiza sessões Baobá de Cinema

05 panfleto baoba RGB-03

Para abrir as atividades do mês da consciência negra Bamako Produção realiza o projeto: “Sessões Baobá de Cinema”, uma parceria com a Casa de Criação Cinema e o Fundo Baobá e com apoio da Fundação Joaquim Nabuco e do Bar e Restaurante Xinxim da Baiana. As sessões serão realizadas nos dias 04 de novembro às 19h00 no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco e 07 de novembro às 20h00 no Bar e Restaurante Xinxim da Baiana, onde será exibido a produção Raça – Um filme Sobre Igualdade, dos diretores Joel Zito Araújo e Megan Mylan.

 

SINOPSE: RAÇA capta a história de três pessoas na linha de frente da batalha contemporânea pela igualdade, em um país que se orgulha de ser exemplo de democracia racial. Entre eles o esforço do senador Paulo Paim para sancionar a lei do “Estatuto da Igualdade Racial” no Congresso Nacional, em Brasília. Paim é autor do projeto original que demorou quase uma década para ser aprovado. O documentário também apresenta a luta de Miúda dos Santos – neta de africanos escravizados e ativista quilombola – pela posse das terras e pelo respeito às suas tradições ancestrais da Comunidade Quilombola de Linharinho, no Espírito Santo. E Netinho de Paula e os bastidores da trajetória do cantor, apresentador e empresário durante todo o processo de criação e tentativa de consolidar o seu canal TV da Gente formado majoritariamente por profissionais negros.

 

Após a exibição teremos debate com Lepê Correia (FUNDAJ) e Ceça Axé (Xinxim). Bamako Produção enxerga nesses encontros um momento de fortalecimento entre os parceiros e o público do Cineclube Bamako, buscando refletir em seus debates sobre a contribuição e o papel de cada cidadão e instituição na discussão sobre os efeitos danosos do racismo em nossa sociedade, promovendo então a equidade racial nas relações humanas.

 

O quê? Sessões Baobá de Cinema
Quando? 04 de Novembro, às 19h (FUNDAJ) e 07 de novembro às 20h (Xinxim da Baiana)
Onde? Cinema da Fundação e Joaquim Nabuco / Bar e Restaurante Xinxim da Baiana

Classificação Livre / Entrada Gratuita.

_____________________________________

 

Contato:
cineclubebamako@yahoo.com.br
+55 81 9761 8998 / 8564 2224
facebook.com/cineclubebamako

Mostra Bamako Especial: Olhares Sobre a Felicidade

04 mostra TO-02

Salve Salve!!

O Cineclube Bamako fecha o mês de setembro com mais uma ótima novidade. Nos últimos tempos temos ampliado nossa articulação com outros estados do país e felizmente temos a honra de apresentar o primeiro desses frutos: A Mostra Bamako Especial: Olhares Sobre A Felicidade. Em parceria com a Casa da Árvore, Movimento Pela Vida e Canto das Artes o Cineclube Bamako realiza a primeira intervenção fora do estado de Pernambuco.

A mostra integra a programação do 14º Movimento Pela Vida, que acontece em Taquaruçu (Palmas-TO) e tem como objetivo apresentar um pouco das Áfricas a partir de seus cinemas, trazendo um recorte mais do que especial. A ideia é exibir filmes que colocam em primeiro plano diversas formas de felicidade. Embora todo o contexto de dificuldades que os 3 filmes têm em comum, estes trazem histórias de luta, de solidariedade e de alternativas simples, porém verdadeiras, para alcançar a felicidade.

Serão dois dias de exibição, 28 e 29/09. Na primeira sessão teremos dois médias metragem: o moçambicano O Grande Bazar (exibido em nossa última sessão) e o senegalês A Pequena Vendedora de Soleil (que exibimos no ano passado). Já no segundo dia teremos o longa bissau-guineense Nha Fala – A Minha Voz, também exibido no ano passado e falado em crioulo.

Para nós é uma grande satisfação poder ampliar nossa articulação e poder disseminar ainda mais as cinematografias africanas em território nacional. Esperamos que essa seja a primeira de várias outras articulações, dentro ou fora de Pernambuco, e que mais possibilidades surjam para levar a todos nós brasileiros uma compreensão maior de nossa história, cultura e identidade a partir da linguagem cinematográfica.

Um salve para o pessoal do Tocantins, tomara que vocês curtam nosso trabalho!

 

Confira as sinopses dos filmes:

 

O GRANDE BAZAR (O Grande Bazar, 2006) Direção: Licínio de Azevedo / Gênero: Drama / Origem: Moçambique / Duração: 56 min

Num grande mercado africano, dois meninos com vivências diferentes e objectivos opostos. Um deles procura uma solução para recuperar o que lhe foi roubado…porque assim pode voltar para casa. O outro não olha a meios para sobreviver sem ser obrigado a viver com a família. Estas diferenças, ao contrário do que seria previsível, não os separam e juntos irão enfrentar o adversário comum.

 

A PEQUENA VENDEDORA DE SOLEIL (La Petite Vendeuse de Soleil, 1999) Direção: Djibril Diop Mambéty / Gênero: Drama / Origem: Senegal / Duração: 45 min

Menina deficiente de doze anos, Silli vai mendigar nas ruas de Dakar. Um bando de meninos vendedores-mirins de jornais zombam de sua deficiência. Ela logo decide parar de mendigar e começa também a vender jornais, atividade normalmente reservada aos meninos. No decorrer de suas aventuras, Sill conhece Babou: uma amizade que se afirma frente à brutalidade dos pequenos rivais vendedores de jornal…

 

NHA FALA – A MINHA VOZ (Nha Fala, 2002) Direção: Flora Gomes / Gênero: Musical, Comédia / Origem: Portugal, França, Luxemburgo, Guiné Bissau, Cabo Verde / Duração: 110 min

Antes de partir para a Europa para estudar, Vita, uma jovem africana, promete à mãe que jamais cantará, pois uma maldição que se abate sobre a sua família determina que qualquer mulher que ouse cantar, morrerá amaldiçoada. Em Paris, Vita conhece Pierre, um jovem e talentoso músico por quem se apaixona. Transbordando alegria, Vita liberta-se finalmente e canta, deixando-se convencer por Pierre a gravar um disco, que se torna um sucesso de vendas imediato. Temendo que a mãe descubra que quebrou a promessa, Vita decide voltar a casa… para morrer! Com a ajuda de Pierre e Yano, Vita encena a sua própria morte e ressurreição, para mostrar à família e amigos que tudo é possível, se tiverem a coragem de ousar.

 

__________________________________

 

O quê? Mostra Bamako Especial: Olhares Sobre a A Felicidade
Quando? 28 e 29 de Setembro, às 18h
Onde? Canto das Artes, Taquaruçu – Palmas – Tocantins

Classificação Livre / Entrada Gratuita.
Contato:
cineclubebamako@yahoo.com.br
+55 81 9761 8998 / 8564 2224
facebook.com/cineclubebamako

Cineclube Bamako exibe filme moçambicano

03 grande bazar-02

No último mês realizamos a Mostra Bamako com filmes africanos em língua portuguesa. No entanto por conta do apagão que aconteceu naquela semana e atingiu várias capitais do nordeste, uma das sessões foi cancelada. Como forma de compensar esse imprevisto o Cineclube Bamako realiza na semana que vem a exibição do filme moçambicano O Grande Bazar, que passaria na mostra.

Desta vez traremos para o debate o cabo-verdiano Miele Lima, que falará um pouco sobre as relações entre Brasil e países africanos de língua portuguesa. Esperamos vocês por lá!

 

Confira a sinopse:

O GRANDE BAZAR
Moçambique | Licínio Azevedo | 2006 | Drama | 56 min

Num grande mercado africano, dois meninos com vivências diferentes e objectivos opostos. Um
deles procura uma solução para recuperar o que lhe foi roubado…porque assim pode voltar para
casa. O outro não olha a meios para sobreviver sem ser obrigado a viver com a família. Estas
diferenças, ao contrário do que seria previsível, não os separam e juntos irão enfrentar o
adversário comum.

 

O quê? Sessão do Cineclube Bamako – O Grande Bazar, de Licínio Azevedo
Quando? 16 de Setembro, às 19h
Onde? FUNDAJ Derby – Sala João Cardoso Ayres – Rua Henrique Dias, 609 – Derby, Recife – PE. CEP: 52.010-100

Entrada Gratuita.
Contato:
cineclubebamako@yahoo.com.br
+55 81 9761 8998 / 8564 2224
facebook.com/cineclubebamako

 

Mostra Bamako – Cinemas Africanos de Língua Portuguesa

02 panfleto mostra-01

O Cineclube Bamako retorna com mais uma novidade: para o mês de agosto programamos uma mostra de cinemas africanos de língua portuguesa. Filmes de Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné Bissau e Cabo Verde e Angola serão exibidos na sala João Cardoso Ayres (FUNDAJ Derby) entre os dias 26 e 30/08.

Confira a Programação:

SEGUNDA: Ngwenya – O Crocodilo (MOÇ)
TERÇA: Batuque (CBV)
QUARTA: Mionga Ki Obo (STP) / O Grande Bazar (MOÇ)
QUINTA: Angola – Saudades de Quem Te Ama (AFS / NAM)
SEXTA: A Voz do Povo (POR / GBS)

01. Ngwenya – O Crocodilo

Moçambique | Isabel Noronha | 2007 | Documentário | 90 min

O filme conta a história do artista moçambicano Malangatana. “Um dia, Xiluwa conheceu Cecília, fiha de Malangatana, viu os desenhos e achou que era ele quem poderia traduzir em palavras esse universo sensorial a que ela sabia pertencer mas não podia nomear. E guardou de Malangatana a promessa de a levar um dia a esse lugar mágico onde tudo está inscrito, sem precisar de palavras. Trinta anos depois, partem juntos à procura das chaves para a compreensão de um Universo situado algures entre a Tradição e a Modernidade, viajando entre memórias sensoriais e histórias de infância, medos nocturnos e histórias míticas, lembranças eróticas e o calor da fogueira, histórias de luta e de armação de uma Identidade em construção. A cada dia dessa Viagem, a tela revela um pouco mais dos contornos oníricos e das infiinitas cores do Palácio Sagrado de Malangatana Ngwenya: ele mesmo.”

02. Batuque – A Alma de um Povo
Cabo Verde | Júlio SIlvão Tavares | 2006 | Documentário | 52 min

Característico da ilha de Santiago, o Batuque tem origem nos primeiros escravos trazidos para a ilha em 1462 e é a mais antiga manifestação cultural de Cabo Verde. Relegado ao espaço rural durante a colonização por ser considerado ofensivo da boa moral, o Batuque foi reprimido e proibido, mas sobreviveu graças à resistência e à constante passagem de testemunho de gerações a gerações. Através da história do Batuque, e das poesias das cantadeiras, o batuque oferece-nos um prisma único por onde se filtra a própria História de Cabo Verde.

03. Mionga Ki ôbo – Mar e selva
São Tomé e Príncipe | Ângelo Torres | 2005 | Documentário | 52 min

Os “angolares” são os mais antigos habitantes da Ilha de São Tomé, onde, segundo a lenda,
chegaram depois de um naufrágio. Outrora senhores da ilha, foram despojados pela força no fim
do século XIX estão agora reduzidos a uma pequena comunidade piscatória. Entre os mitos e os
mistérios desta ilha de beleza luxuriante, este filme revela-nos a história e os costumes destas
gentes para quem a pesca e o mar são um símbolo de afirmação.

04. O Grande Bazar
Moçambique | Licínio Azevedo | 2006 | Drama | 56 min

Num grande mercado africano, dois meninos com vivências diferentes e objectivos opostos. Um
deles procura uma solução para recuperar o que lhe foi roubado…porque assim pode voltar para
casa. O outro não olha a meios para sobreviver sem ser obrigado a viver com a família. Estas
diferenças, ao contrário do que seria previsível, não os separam e juntos irão enfrentar o
adversário comum.

05. Angola: Saudades de Quem Te Ama
África do Sul / Namíbia | Richard Pakleppa | 2006 | Documnetário | 65 min

Histórias dramáticas do pós-guerra, num país que luta para se reerguer e que se defronta com novos dilemas. Este documentário foge a narrativa tradicional. Em “Angola, Saudades de quem te ama” uma voz desconhecida lê cartas que levam o espectador as diferentes realidades do pais. Através do documentário, travamos conhecimento com alguns meninos de rua, que nos mostram uma sociedade terrivelmente desigual.

06. José Carlos Schwarz – a voz do povo
Portugal | Adulai Jamanca | 2006 | Documentário | 52 Min

No início dos anos 70, num país fragmentado em dezenas de etnias e em plena guerra de independência, José Carlos Schwarz criou o primeiro agrupamento musical da Guiné-Bissau, o “Cobiana Djazz”. José Carlos cantava em crioulo e criou uma forma musical que ainda hoje unifica os guineenses. Este documentário conta-nos a história do poeta e fundador da música moderna da Guiné-Bissau, que morreu num acidente aéreo em 1977, com apenas 27 anos.

__________________________________________________________________

O quê? Mostra Bamako – Cinemas Africanos de Língua Portuguesa
Quando? 26 a 30 de Agosto, às 19h
Onde? FUNDAJ Derby – Sala João Cardoso Ayres – Rua Henrique Dias, 609 – Derby, Recife – PE. CEP: 52.010-100

Entrada Gratuita.
Contato:
cineclubebamako@yahoo.com.br
+55 81 9761 8998 / 8564 2224
facebook.com/cineclubebamako

CAMISETAS CINECLUBE BAMAKO

Chegaram as camisetas Bamako!

O Cineclube Bamako é uma iniciativa totalmente independente. Sendo assim, procuramos diversas formas de angariar recursos para nossa sustentabilidade. Uma delas é venda de camisetas baseadas em filmes que estão em nossa programação.

Confira as imagens:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os primeiros modelos são baseados nos filmes A Negra de…, do senegalês Ousmane Sembène (cor vermelha), e Daratt – Estação Seca, de Mahamat-Saleh Haroun, cineasta do Chade.

As imagens foram produzidas por educandos do CCJ Recife e captadas no Nascedouro de Peixinhos.

 

Disponível nos tamanhos P, M, G e GG, masculino e feminino. Adquira a sua! Encontre as nossas camisetas visitando a Akotirene ou encomende a partir do contato:

cineclubebamako@yahoo.com.br
81 9761 8998

 

______________________________________

IMAGENS:

Realização: Bamako Produção
Produção: CCJ Recife

Local: Nascedouro de Peixinhos

Fotografias: Renata Fernandes, Isabela Lima, Mika Lira, Renata Fernandes
Modelos: Mika Lira, Renata Fernandes, Tay Silva, Jeferson Gão

Cineclube Bamako está de volta!

Web

Estamos de volta! Após uma temporada bastante gratificante no ano de 2012, o Cineclube Bamako tem o prazer de apresentar a sua segunda temporada. Retomamos nossas atividades a partir deste mês de julho chegando em 2013 já com várias novidades!

Novos espaços, novos formatos, novas propostas. Nossas sessões serão de caráter itinerante acontecendo duas vezes ao mês. A primeira sessao de cada mês acontecerá em um espaço central, no Recife ou em Olinda. Contanto com novas parcerias, com  Akotirene - Centro de Referência Afro e Indigena, as exibições serão ao ar livre na Casa da Cultura, Recife;

Também com o Xinxim da Baiana, onde já no ano passado fizemos uma sessão, temos agora a possibilidade de realizar em Olinda debates sobre cinemas africanos, cultura negra e temáticas a ela referentes, no Brasil e em outras partes do mundo.

As segundas sessões do mês irão acontecer de forma itinerantes em centros comunitários, religiosos, culturais e sociais onde haja ações dedicadas a cultura negra e questões relativas à negritude.  As sessões terão principal foco no trabalho pedagógico, visando uma construção coletiva de conhecimento, com diversos tipos de pessoas,  de diversas faixas etárias.

Nossa primeira sessão do ano trará um debate sobre antigas tradições e a luta contemporânea das mulheres com Moolaadé, filme de 2004 de Ousmane Sembène, autor pioneiro dos cinemas africanos. Convidamos o coletivo Cabelaço para mediar a conversa. Estão todos convidados para conferir mais uma vez nossas sessões e debater audiovisual, questões relativos ao negro e trocar ideias sobre outras maneiras de ver o mundo.

Em breve mais novidades, aguardem!

__________________________________________

O quê? Sessão de Abertura Cineclube Bamako em 2013. Filme Moolaadé (Ousmane Sembène, 2004). Debate com o coletivo Cabelaço

Quando? 25 de julho, às 19h

Onde? Xinxim da Baiana – Av. Sigismundo Gonçalves, 742, Carmo,  Olinda – PE.

Entrada Gratuita.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.